Cerebral blood flow changes during retrieval of traumatic memories before and after psychotherapy: a SPECT study
2 de fevereiro de 2018
Comunicação com os Mortos
2 de fevereiro de 2018

A ciência e as experiências mediúnicas de psicografias

Um estudo inédito realizado por cientistas do Brasil e dos Estados Unidos investigou o cérebro de médiuns brasileiros com prática em psicografia (capacidade de escrever mensagens que seriam ditadas por espíritos) durante o estado de transe e também fora dele. Os pesquisadores usaram modernas técnicas e equipamentos de última geração para examinar a questionável e controversa experiência de comunicação com os mortos. A discussão indica que o cérebro dos submetidos à
análise funciona de modo diferente. O fato de que os indivíduos escreveram conteúdos complexos, apesar de menor ativação cerebral em estado de transe dissociativo, sugere que eles não estavam só relaxados, e o relaxamento parece uma explicação improvável para a subativação que se verificou em áreas cerebrais relacionada ao processamento cognitivo. No entanto, afirmam os pesquisadores, esses achados merecem mais investigação, tanto em termos de replicação como de hipóteses expli-
cativas. Participaram da pesquisa, realizada na cidade da Filadélfia, nos Estados Unidos, os cientistas Julio Peres, Alexander Moreira-Almeida, Leonardo Caixeta, Frederico Leão e Andrew Newberg. O artigo, a seguir, foi originalmente publicado na revista PLoS ONE 7, em 16 de novembro de 2012, que autorizou a publicação, na versão em português, em INOVAÇÃO! Brasileiros.

Para ler o estudo no formato original em inglês, acesse
http://www.plosone.org/article/info%3Adoi%2F10.1371%2Fjournal.pone.0049360.